Cuidados com a pele no inverno

A nossa pele é sensível às mudanças climáticas e, no inverno, é normal ficar mais ressecada, esbranquiçada, irritada e até haver intensificação das doenças.

Nessa época, a rotina de skincare também deve ser adaptada, a fim de amenizar esses efeitos e manter a saúde da pele.

Cuidados como uma maior ingestão de água e alimentação equilibrada, adaptação dos cosméticos para produtos com maior ação hidratante e adequados para o seu tipo de pele, evitar banhos muito quentes e o uso contínuo de protetor solar, podem ser cruciais para que você passe por esse período com a pele radiante e saudável.

Óleo de rosa mosqueta

O óleo de rosa mosqueta é extraído das sementes da planta affinis rubiginosa. A extração desse óleo pode ser feita por prensagem a frio ou mergulhando as sementes em um solvente e deixando repousar por alguns dias.

Esse óleo é rico em ácidos graxos – ácido oleico e linoleico, também chamados de ômega 9 e ômega 6. Também possui vitaminas, como as do complexo A, B, C, E e K e muitos minerais como o potássio, ferro, cálcio, magnésio, fósforo.

Com tantas propriedades, o óleo de rosa mosqueta é indicado para o tratamento de queimaduras e assaduras, cicatrização, minimização de estrias e celulites, psoríase e tratamento de outras doenças, rejuvenescimento e hidratação da pele.

Pele ressecada

O ressecamento da pele é causado por diversos fatores externos e internos, como condições climáticas, uso de medicamentos, fatores genéticos, idade, desidratação, hábitos alimentares, etc. É consequência de uma modificação na barreira cutânea causando uma queda na produção de lipídeos e tornando as células incapazes de reter água. Geralmente, a pele fica com um aspecto frágil e sem brilho, além da sensação de repuxamento.

É mais comum sentir o ressecamento da pele durante o inverno, principalmente em áreas com uma menor concentração de glândulas sebáceas, como as pernas e ao redor da boca. Nesta época, há uma redução da transpiração corporal e também da umidade do ar. Além disso, os banhos quentes tornam-se mais comuns, também contribuindo para que essa condição ocorra.
O tratamento e a prevenção dependem de cada caso, mas, normalmente, envolvem o uso de hidratantes adequados para o tipo de pele, além de uma rotina de cuidados diários, alimentação balanceada, ingestão de água, evitar exposição solar em excesso e banhos em altas temperaturas.

Você sabe o que é o manto hidrolipídico?

O Manto Hidrolipídico ou barreira cutânea é a camada mais superficial da nossa pele, sendo fundamental para sua saúde. Esse manto desempenha a função de protegê-la contra raios solares, contra agentes externos causadores de infecções e irritações, evita a perda de água e conserva o Ph.

Essa barreira é produzida pelas glândulas sebáceas e sudoríparas, sendo uma emulsão natural constituída de água e NMF (Fator Hidratante Natural) do suor com lipídeos. Para uma pele saudável, os componentes do manto hidrolipídico devem estar em equilíbrio.

Alguns fatores podem danificar esse manto, como:

. EXPOSIÇÃO SOLAR EM EXCESSO

.USO DE PRODUTOS DE LIMPEZA AGRESSIVOS, QUE MODIFIQUEM O PH DA PELE

. USO FREQUENTE DE ÁGUA QUENTE

. USO DE ESFOLIANTES MUITO ABRASIVOS